Header Ads

A prostitutas do presidente


Quando o PT estava no poder havia algo de muito comum nos veículos de mídia independente, que era o fato de muitos deles estarem recebendo dinheiro do governo através de publicidade estatal. Em delação, Marcelo Odebrecht chegou a afirmar que a Carta Capital recebia até mesmo propina a pedido do governo. Tudo isso alarmava, era notoriamente abusivo, e muitos de nós denunciamos isso ao longo dos anos.

Com o governo Jair Bolsonaro não é tão diferente. Salvo a distinção necessária de que, ao menos até onde sabemos, não há dinheiro público diretamente envolvido, ainda existem os portais de notícias "independentes" que na realidade trabalham por algum ganho. A exemplo do Conexão Política, que comprovadamente recebeu - talvez ainda receba - dinheiro de um deputado do PSL.

A questão é que isso não começou no governo. Começou bem antes. Diversos portais de mídia surgiram nos últimos anos buscando espaço, e nesse meio tempo houve aqueles que, talvez mais espertos, souberam aproveitar a oportunidade para conquistar um lugar ao sol. São os blogs que, em geral, apoiaram declarada ou veladamente o projeto Bolsonaro. 

Mas não são só blogs. São também perfis, páginas, contas de Twitter. Há diversos meios de se propagar as narrativas encomendadas pelo governo, ou melhor, pelos filhos do governo. Estes portais são as prostitutas do presidente. Trabalharam para ele em campanha, mentindo e omitindo o que era conveniente, e continuam trabalhando agora, com o mesmo padrão de operação. A diferença, entretanto, é que ao menos alguns deles conquistaram vantagens significativas.

Filipe G. Martins era colunista no portal Senso Incomum, site notoriamente neoconservador. O sujeito fez diversas publicações defendendo Bolsonaro nos últimos anos. Certamente muitos leitores, olhando seu currículo, pensavam nele como alguém meramente articulado que defendia suas ideias. Mas não é bem assim. Filipe já conhecia Eduardo Bolsonaro desde 2014 e se tornou próximo da família do presidente. Hoje é "assessor especial para assuntos internacionais", uma indicação política que é um bonito nome para o cargo de puxa saco.

É importante ressaltar, aliás, que Filipe Martins já era filiado ao PSL, o que ele chegou a negar em postagem no Facebook quando questionado, dizendo não ser o seu nome. 

Existem outros casos bem similares, como o de Smith Hays. O garoto usa o Twitter para defender o presidente, fazendo geralmente postagens provocativas e sarcásticas. Ele é mais um dos empregados que passam o dia vendendo falsas narrativas como esta:


Se Bebianno tem algum trunfo na manga ou não, ainda é cedo para dizer. O que é falso nesse comentário é a ideia de que Bolsonaro "enfrentou todo mundo". Mas isso faz parte do projeto. É uma mentira que tem sido vendida desde o comecinho da campanha, lá em 2014 - quando realmente começou a campanha eleitoral do presidente. Neste caso há também o interesse em afastar o clã Bolsonaro de qualquer escândalo, tal como o dos laranjas do PSL. A ideia é vender a narrativa de que Jair e Bebianno brigaram porque o clã não tolera os corruptos, muito embora tenha como ministro da Casa Civil alguém que confessadamente usou caixa dois.

No entanto, qual o nível de independência de alguém que foi candidato a deputado pelo PSL no ano passado? Procurando em seu perfil no Twitter há bem poucos comentários dele próprio sobre sua candidatura, mas há muitos comentários pedindo votos para os Bolsonaro. Não por acaso ele fez pouco mais de dois mil votos, mas de qualquer maneira ajudou a legenda.

Gil Diniz, dono do perfil "Carteiro Reaça", conhecido por defender toda e qualquer merda dita por Jair Bolsonaro, foi eleito deputado estadual pelo PSL em São Paulo. Mais de 214 mil votos para um sujeito que passou os últimos anos apoiando o clã nas redes sociais. Parece que houve um ganho bem real neste caso.

Sobre o Terça Livre pouco há para comentar. Nada que já não seja de conhecimento geral. O site é praticamente a fábrica das mentiras pró-Bolsonaro e pró-Olavo desde que tudo isso se iniciou. Conheci Ítalo Lorenzon no Facebook há alguns anos, é um sujeito completamente desprezível, mas não tanto quanto Allan dos Santos, um marmanjo que faz vídeo para dizer que masturbação acaba com os neurônios - e para dizer que cigarro não faz mal só porque o Olavo mandou dizer.

Há, por fim, o caso do portal Renova Mídia, que diz ser independente apesar de passar o tempo todo defendendo os interesses do clã. 

Talvez você já tenha visto, mas há um boato circulando nos últimos dias sobre a possibilidade de os Bolsonaro formarem um novo partido e saírem do PSL. O verdadeiro motivo é a questão do fundo partidário e eleitoral, ou seja, dinheiro, uma vez que quem controla isso é Luciano Bivar. Mas é claro que você também pode crer na estorinha sobre como eles não se veem representados pelo PSL e querem formar um partido novo para a "verdadeira direita".

Neste caso o Renova Mídia, que apoia Bolsonaro, resolveu subitamente publicar uma matéria contra Luciano Bivar. É estranho que isso só tenha ocorrido agora, uma vez que o fato de Bivar ser suspeito em escândalos não é nenhuma novidade. Já se sabe disso há mais de década.


O momento é propício. Se for verdade que os Bolsonaro pretendem fundar um novo partido, é necessário para eles que desconstruam a imagem do partido atual, até para que isso sirva como um bom pretexto. O Bivar de qualquer forma sairá no lucro, uma vez que o fundo partidário atual já é dele. 

Talvez você já não se lembre disso, mas é importante refrescar a memória nessas horas e falar sobre o Patriotas, o antigo PEN. Quem ainda lembra do motivo para que Jair tenha se recusado a ser candidato pelo partido? Uma discussão entre ele e o presidente da legenda, Adilson Barroso, começou justamente porque Barroso não queria dar o controle do fundo partidário para a turma de Jair. Mesmo Barroso tendo aceitado passar a presidência do partido para Jair, mudar nome e estatuto, além de incluir seus cupinchas lá, Bolsonaro não queria nada além do controle sobre o fundo.

Não há com o que se surpreender. É tudo por dinheiro. Pode até ser que ali no meio existam uns bobos bem intencionados que acreditem na ideologia, mas este não é o caso de Jair, certamente não é o caso de Allan dos Santos, Filipe Martins, Smith Hays, Gil Diniz ou qualquer um desses mencionados. Todos eles ganharam algo em troca ou estão tentando ganhar. São as prostitutas do presidente.

Tecnologia do Blogger.