Header Ads

PesquisaEspartana: Maioria considera corrupção e má gestão da verba pública como "maiores problemas do Brasil"

Usei recentemente os formulários do Google para criar pesquisas de opinião. Nestas pesquisas, mais especificamente em duas delas, obtive resultados bem interessantes a respeito de como a maioria das pessoas "ligadas" em política pensa sobre alguns temas. Neste primeiro texto, pretendo colocar algumas informações que podem ser úteis segundo minha própria análise, e obviamente vou emitir também meu parecer sobre elas.

Na primeira pesquisa, que divulguei através de amigos em grupos do Facebook, quis saber da forma mais neutra possível quais seriam as opiniões das pessoas que usam a internet com interesses políticos. O formulário foi divulgado em grupos de debates online e os dados das pessoas que responderam, como nome ou mesmo o perfil, não são de meu conhecimento, de modo que nada do que disser aqui tem a ver com alguém em específico.

Contudo, conclui já com a primeira pesquisa algo óbvio: a maioria das pessoas acha mesmo que a corrupção ou a má gestão do dinheiro público são os maiores problemas do país hoje. A coleta que fiz condiz, aliás, precisamente com os dados de pesquisas recentes de institutos como DataFolha e Ibope.

Veja como foram as primeiras três perguntas e como elas foram respondidas:



Note que há uma similaridade percentual entre aqueles que acreditam ser a corrupção ou a má gestão os maiores males do país com aqueles que, na imagem de baixo, não sabiam dizer o que causava a inflação, ainda que tenham respondido achando que soubessem.

A pergunta 5, neste caso, não é questão de opinião, apesar de eu tê-la criado dando a entender que fosse, pois o objetivo era justamente esse. Perceba que mais de dois terços das pessoas disseram que desvios de dinheiro público ou endividamento são a maior causa da inflação, um número bem próximo dos que responderam da forma como expus a questão número 1. A relação também existe se compararmos com a questão número 4, onde somente 26% das pessoas disseram que reduzir o poder do governo seria uma boa solução.

Qual é o problema nisso?

Primeiro é preciso entender algo que já disse na página há poucos dias: a corrupção não é causa de nenhum grande problema, é um efeito. A maioria das pessoas que participou desta pesquisa não parece saber disso. Lá nas últimas questões, coloquei outras perguntas para entender melhor o público e, o que notei, é que havia variedade imensa de posições políticas, indo da esquerda para a direita, de liberais a marxistas, de neutros e moderados a radicais. Porém, uma coisa me preocupou, e foi isso:


A esmagadora maioria dos entrevistados era composta por adultos, não eram adolescentes. Também uma maior parte dos que responderam tem boa escolaridade. Se somarmos do nível técnico até o doutorado teremos 63,9 % de pessoas minimamente graduadas até especialistas. Obviamente, nem todo especialista é necessariamente um especialista em política, mas de qualquer forma são pessoas cultas, com estudo, não devem ser pessoas com alguma dificuldade cognitiva ou problemas de aprendizado.

Além disso, também, uma coisa que me chamou atenção foi a questão da renda. A maioria dos entrevistados tem renda média superior a da maioria dos brasileiros. Se somarmos isso ao grau de escolaridade, pode-se auferir que os que responderam o questionário são, em grande parte, pessoas com acesso muito fácil a informação por viverem em condições financeiras e sociais melhores. Certamente este questionário não foi respondido por um sertanejo que cria cabras em alguma fazendinha no interior, mas por pessoas com acesso a internet e com capacidade plena de pesquisar e buscar informação.

Agora vamos partir dos seguintes pressupostos:

1) Não sendo revelada a identidade do participante, ele não tem motivos para mentir. 
2) Como o formulário é aberto, a pessoa respondeu sem qualquer compromisso, e neste caso não há nada a perder. Sendo assim, a tendência é de que haja maior honestidade nas respostas, inclusive porque ninguém que tenha respondido tal questionário me conhece e nem mesmo sabe quais são meus objetivos.
3) É perfeitamente possível que algumas respostas tenham sido desonestas em virtude de haver, dentre os participantes, simpatizantes ou até mesmo militantes socialistas, e estes tendem naturalmente a ser mentirosos, mas ainda assim, pelas respostas dadas, estes foram minorias.
4) Em outras questões que não revelei para manter a funcionalidade da pesquisa, indaguei sobre demais assuntos para justamente apurar a veracidade das respostas. Afirmo sem muito receio que a margem de erro neste caso é mínima, aproximadamente 2%, pois os dados batem.

Qual a conclusão que se pode tirar disso tudo?

A direita brasileira tem feito um péssimo trabalho em tentar combater o hospedeiro do vírus e não o vírus em si. Uma grande parcela de pessoas ligadas em política acha que a corrupção é o nosso maior problema e que substituir "políticos maus" por "políticos bons" ou prender todos os corruptos irá realmente resolver o problema. Muita gente acha que inflação é causada por desvios de dinheiro ou coisas relacionadas a política que nada tem a ver com economia. Paralelamente a isso, a esmagadora maioria do público acredita que políticos não são confiáveis, mas ao mesmo tempo defendem que sonegar impostos (sendo que impostos são o dinheiro que os políticos desviam) é um crime tão ruim quanto o desvio de verbas públicas.

Há uma clara falha de entendimento de causa e efeito, uma clara visão distorcida da realidade. Sendo assim, mesmo com o crescente avanço da direita no país, nota-se que não há avanço significativo no que diz respeito ao que é eficiente ou não. A direita não está trabalhando no sentido de instruir e conscientizar, ela está fazendo o contrário disso, que é desinformar. Aí você pode até tentar entender o que leva a direita a agir assim, mas não é preciso ser gênio. A resposta é simples: oportunismo.

Com os escândalos de corrupção envolvendo políticos e empresários, muitos direitistas se preocuparam apenas em virar bastiões da moral contra "todos os corruptos", como se nem mesmo houvesse diferença de gênero ou de essência entre um crime e outro. É como se eu dissesse que sou contra criminosos, mas que gostaria de dar a mesma pena para o ladrão de bicicletas e para o estuprador homicida. Com isso, se as coisas continuarem como estão, o nosso futuro é novamente o populismo. Vamos realmente colocar de volta Lula no poder, e se não for o Lula será outro quase tão ruim quanto, porque diferente desses direitistas mongoloides que acham que estão por cima, gente como o Lula realmente sabe o que quer e sabe o que está fazendo.
'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();
Tecnologia do Blogger.